domingo, 22 de fevereiro de 2015

Maria Emilia B. Teixeira


Os valores que trazes na bolsa não competem com aqueles da alma.
Quando colocados na balança eles não se nivelam.
Personalidade da alma é outro nível... O do humano.


domingo, 8 de fevereiro de 2015

Maria Emilia B. Teixeira


Eu não carrego um corpo.
Eu carrego uma alma... Esperançada e conhecedora da minha verdade.

Maria Emilia B. Teixeira


Só ou acompanhado.
Nem tudo são flores, nem tudo é um mar de rosas.
O plantio é diário em ambos os casos.
Quando se ferem, se perdoam , juntinhos sopram os machucados e respiram aliviados.
Sozinho quem sopra é ela... A solidão, que às vezes é boa e em outras é uma malvada.
Nesse mar rosado sempre existirão os espinhos. E o desafio para quem se aventurar mar adentro é ter a sabedoria para que mesmo se machucando nos espinhos, que não venha a produzir mais deles.
O marinheiro acompanhado deve saber que  tempestades sempre passam, e que o real valor da beleza de uma vida compartilhada é que a convivência não existe sem os espinhos, e com as bagagens de vida trazidas da cultura do seu par devem ser respeitadas. Quando características  não são defeitos, elas são o diferença que não atrapalha.
No o mar de rosas sempre haverá botões de esperanças nascendo e modificando a rota da vida de quem cultiva reciprocidade.

Maria Emilia B. Teixeira


Sobre forte argumento não pude deixá-la presa aqui dentro de mim... Falando mais alto, foi expulsa de forma líquida o que um dia virou ressentimentos solidificado e ruim.
Que bom que o sorriso vem após de uma alma limpa e desapegada do que não era para ser.
Deus escreve certo e bonito em qualquer textura que nossas vidas estejam passando.
Alma leve.
Por do sol.
Dias lindos...Perfeição é para quem entende que nada como um dia após o outro para mostrar a verdadeira razão das coisas serem como são.Aprender sempre, somos aprendizes,isso é fato.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Maria Emilia B. Teixeira


Jamais deixarei de sonhar e correr o risco do pesadelo que alguns deles podem vir a se tornarem.
Um dia após o outro... E sempre haverá a chance de reconstrução quando o alicerce é obra do coração.
Pesadelo vai embora quando passarinho borda.